AMBICANA - Centro de Cana de Ribeirão Preto - IAC APTA

O projeto AMBICANA (qualificação dos ambientes de produção de cana-de-açúcar) visa treinar os técnicos das usinas em classificação de solos numa área-pilôto escolhida pela empresa. Nessa área consideram-se as variações da produtividade de cana-de-açúcar, da coloração e do teor de argila dos solos. Uma vez treinados esses técnicos continuam esse trabalho na área complementar aumentado densidade de observações/área conforme a necessidade.

O projeto Ambicana estimula na sua rotina de trabalho, sob supervisão, que os técnicos das empresas treinem intensamente a estimativa do teor de argila baseado na pegajosidade do solo molhado. Esse procedimento tem duas importantes consequências práticas:

  • sabe-se diretamente no campo o teor de argila, que é indispensável para classificar o solo.
  • parte das amostras são analisadas granulometricamente por classe de solo para constar no relatório pedológico, mas na maioria das amostras são feitas estimativas da argila no campo;
  • economia na análise granulométrica de laboratório.

Numa usina de aproximadamente 60000 ha são feitas 3000 observações de solos e coletadas 9000 amostras (proporção de 1 amostra a cada 20 ha e com coleta de amostras em 3 profundidades). Se todas amostras fossem enviadas para análise granulométrica o custo seria de R$ 60000,00. Supondo-se que o teor de argila fosse conhecido em 30% das amostras de solo, e feita estimava em 70% das amostras, a economia seria de R$ 42000,00.

A figura 1 mostra claramente que existe boa correlação entre o teor de argila estimado pela sensação ao tato da amostra de solo molhada e a análise granulométrica pelo método da pipeta. Essa correlação foi testada em várias empresas que contrataram o projeto AMBICANA, entre elas a usina Vale do Rosário de Morro Agudo (SP).

Figura 1.Correlação entre o teor de argila obtido pela análise de laboratório e a argila estimada no campo pelos técnicos da usina Vale do Rosário. (Fonte: Usina Vale do Rosário).

Figura 1. Correlação entre o teor de argila obtido pela análise de laboratório e a argila estimada no campo pelos técnicos da usina Vale do Rosário. (Fonte: Usina Vale do Rosário).

Novidades Ambicana

"Avaliação das capacitações e dos "spinoffs" gerados por programas de P&D: o Programa Cana do IAC, DPCT - IG - UNICAMP"

Na sua tese de doutorado ("Avaliação das capacitações e dos spinoffs gerados por programas de P&D: o Programa Cana do IAC", DPCT - IG - UNICAMP), Mirian Hasegawa quantificou os impactos econômicos gerados nas usinas graças ao serviço AMBICANA. Os conhecimentos transferidos para a usina durante a sua participação no AMBICANA e aplicados nas decisões de produção da mesma geram importantes resultados econômicos (redução de custos e aumento de produtividade) para a empresa. Durante o treinamento, o pedólogo ensina aos técnicos da usina a reconhecerem solos, a relacionarem o comportamento das variedades de cana com cada tipo de solo e a adotarem o melhor manejo para cada diferente combinação. Tais ensinamentos levam a manejos mais racionais e eficientes, o que causa aumentos de produtividade (t/ha) e reduções de custos com insumos.

Estes resultados econômicos poderão ser maiores ou menores dependendo do grau de aproveitamento, por parte da empresa, dos conhecimentos fornecidos pelo AMBICANA. Ou seja, a magnitude do impacto econômico gerado pelo AMBICANA depende do esforço da empresa de:

  1. Absorver os conhecimentos transferidos durante o treinamento ministrado pelo pedólogo;
  2. Difundir ou socializar dentro da empresa os conhecimentos aprendidos;
  3. Incorporar os novos conhecimentos às suas rotinas de produção e de tomada de decisões.

O principal impacto econômico gerado pelo AMBICANA nas usinas, quantificado neste trabalho, é o aumento da produtividade da cana-de-açúcar e a redução dos custos de produção devidos à alocação correta e ao manejo mais racional das variedades no seu ambiente de produção.

Estes fatores representam incrementos importantes nos lucros da empresa.

Impacto do AMBICANA sobre a produtividade e o custo de quinze usinas em cinco safras (na área mapeada até outubro de 2004): R$ 259.048.730,00 (Hasegawa, 2005).

Hasegawa, Mirian "Avaliação das capacitações e dos spinoffs gerados por programas de P&D: o Programa Cana do IAC", Tese de doutorado, DPCT - IG - UNICAMP, 2005. Uma das concluções refere-se ao lucro do AMBICANA nas empresas sucroalcooleiras, conforme ilustrado na figura 2.

Figura 2. Lucro do AMBICANA nas empresas sucroalcooleiras.

Impactos do projeto nas empresas

  • Incrementar a produtividade e aumentar a longevidade da cana-de-açúcar pela correta alocação de variedades;
  • Potencializar a redução de custos operacionais de produção pela correta adequação do solo-manejo-variedades;
  • Socializar os conhecimentos pedológicos dentro da empresa para serem incorporados na tomada de decisões das empresas e nas suas rotinas de produção;
  • Permitir a seleção de solos mais favoráveis nas futuras incorporações ou aquisição de terras;
  • Reduzir custos com análises granulométricas devido a capacitação dos próprios técnicos aptos para estimar o teor de argila pela sensação ao tato do solo molhado. Desse modo, menor número de análises são solicitadas.

Empresas que contrataram o projeto

  • Usinas Debrasa de Brasilândia (MS)
  • Benálcool de Bento de Abreu (SP)
  • Cerradinho de Catanduva (SP)
  • Vale do Rosário de Morro Agudo (SP)
  • São João de Araras (SP)
  • Santa Luiza de Mombuca (SP)
  • Ferrari de Porto Ferreira (SP)
  • São Martinho de Pradópolis (SP)
  • Alto Alegre de Presidente Prudente (SP)
  • Alto Alegre de Colorado (SP)
  • Itaiquara de Passos (MG)
  • Usina Jalles Machado de Goianésia (GO)
  • Fazendas Húmus Agroterra de Pitangueiras (SP)
  • Grupo Rizzo de Cravinhos (SP)
  • Usina Moema de Orindiúva (SP)
  • Usina Alvorada de Araporâ (MG)
  • Zilor Energia e Alimentos
  • Central Energética Cabrera
  • Usina Albertina
  • Destilaria Paranapanema

Seminário AMBICANA

O II Seminário AMBICANA IAC foi promovido pelo Centro de Cana IAC e ocorreu no dia 20 de novembro no Stream Palace Hotel, em Ribeirão Preto (SP). O AMBICANA é um Programa de Pesquisas do IAC e é aplicado nas empresas sucroalcooleiras com os objetivos principais de classificar os ambientes de produção de cana-de-açúcar, treinar e formar equipe de atuação dentro da empresa visando a classificação contínua dos ambientes, assim como fornecer parâmetros de manejo varietal em função dos ambientes que a compõem.

O evento proporcionou a todos os participantes uma visão contextual deste importante trabalho, e principalmente o seu uso como ferramenta nas decisões estratégicas de empresas canavieiras. Diversos relatos indicaram o manejo peculiar que cada solo deve receber para que possamos otimizar a produtividade. Vimos também, como este conhecimento é fundamental para alocação de variedades de cana-de-açúcar. O trabalho de melhoramento genético do IAC vem se servindo deste projeto para estabelecer estratégias mais inteligentes de seleção regional. Os presentes fizeram uma avaliação muito positiva do evento. Possivelmente, ocorrerá, doravante, bienalmente.

2º Seminário AMBICANA

Foto do 2º Seminário AMBICANA

Apoio:

IPNIJornal da Cana The International Union of Soil Sciences Natural Resources Management and Environment Departament ISRIC - World Soil Information